Domingo no Carmelo [Domingo de Ramos]

Domingo no Carmelo [Domingo de Ramos]

2019-04-15 0 Por admin

Estimados amigos,

É com enorme alegria que partilhamos a edição desta semana de Domingo no Carmelo.

Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo

«Vinde, subamos ao Monte das Oliveiras, ao encontro de Cristo que hoje regressa de Betânia e Se encaminha voluntariamente para a sua santa e venerável paixão, a fim de realizar o mistério da salvação dos homens. Caminha o Senhor livremente para Jerusalém, Ele que desceu do Céu por causa de nós, prostrados no abismo, a fim de nos elevar consigo, como diz a Escritura, acima de todos osPrincipados, Potestades, Virtudes e Dominações, acima de todo o nome conhecido neste mundo e no futuro. O Senhor não vem com glória, fausto ou pompa. Ele não gritará nem clamará, diz a Escritura, nem se ouvirá a sua voz; mas será manso e humilde, e entrará com aparência modesta e vestes de pobreza. Acompanhemos o Senhor, que corre apressadamente para a sua paixão, imitemos aqueles que foram ao seu encontro: não para juncar o caminho com ramos de oliveira ou de palma, tapetes ou mantos, mas para nos prostrarmos a seus pés com humildade e rectidão de espírito, para acolhermos o Verbo que vem até nós e recebermos aquele Deus que lugar algum pode conter. Agitando os ramos espirituais da alma, aclamemo-l’O todos os dias, juntamente com as crianças, dizendo estas santas palavras: Bendito o que vem em nome do Senhor, o Rei de Israel» (Santo André de Creta).

O «Domingo de Ramos na Paixão do Senhor» é o pórtico da Semana Santa. A bênção dos ramos evoca a peregrinação de Jesus e sua entrada triunfal em Jerusalém, onde é aclamado bendito o reino que vem de nosso pai David. A procissão em honra de Cristo-Rei é uma nova subida com Jesus para o sacrifício da Cruz, para o sacrifício do altar na Eucaristia. No fim da Quaresma estamos preparados para celebrar a Páscoa do Senhor. Entramos com Jesus na Igreja. Narramos a sua Paixão. «Meu Deus, meu Deus, porqueme abandonastes?» é o grito de Jesus pela humanidade impotente diante da morte. Por nós humilhou-se até à morte e morte de cruz. O Cireneu e as mulheres piedosas ajudam-nos a ser suas «testemunhas». Jesus Crucificado é o nosso Salvador: «Hoje estarás comigo no Paraíso». O centurião ajuda-nos a professar a nossa fé: «Verdadeiramente este homem era justo!». Não nos basta lembrar a tristeza da Paixão dolorosa, mas alegrarmo-nos com a ressurreição de Jesus, porque, «Deus exaltou-O sobre todas as coisas», todo o joelho se dobre no céu e na terra e toda a língua proclame que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai». Cristo humilhou-se como servo e foi exaltado como Senhor.